Fernando Pessoa Iniciático

 

Fernando Pessoa era maçon, não há dúvida que ele era iniciado nos segredos da Arte Real. Pelo menos, em seus escritos, ele demonstra muito mais conhecimento do que a grande maioria dos maçons que já atingiram os últimos degraus da Escada de Jacó.

Por prova conclusiva entendemos documentos escritos, tal como uma ata de secção registando a iniciação. Todavia, vários outros documentos, como por exemplo as publicações maçónicas, que ele recebia regularmente, mostram efetivamente,  ligações com a Maçonaria.

A Maçonaria de Fernando Pessoa é espiritualista por excelência. E não poderia ser de outra maneira dado o conteúdo dos seus escritos.

Tanto era que se envolveu em acirradas lutas em defesa da Maçonaria, quando o Estado Novo, implantado em Portugal em 1926, sob a direção de Oliveira Salazar, iniciou um sistemático processo de perseguição contra a ordem maçónica em Portugal. Essa perseguição culminou com a lei 1901, de maio de 1935, que proibia e existência das chamadas “sociedades secretas”. Essa lei, que só foi revogada em 1974, quando o regime foi abolido, tinha um alvo bem claro: A Maçonaria.

Fernando Pessoa insurgiu-se contra esse decreto escrevendo vários artigos em revistas da época, defendendo a Maçonaria, expressando sua opinião e conceitos a respeito da Ordem e da sua doutrina.

Tela0.80×0.80m
acrílico e pastel de óleo
Valor: €250.00